Atraso econômico relativo de Minas Gerais e estratégias de recuperação econômica durante a primeira metade do século XX

Data da publicação

2020

Coordenador(es)

Colaborador(es)

Organizador(es)

Evento

Entrevistador(a)

Entrevistado(a)

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo
Na virada do século XIX para o século XX, permeando os debates acerca da transferência da capital estadual mineira para Belo Horizonte, passou a predominar entre as elites a constatação de situação de atraso econômico de Minas Gerais, sobretudo quando comparada à dinamicidade e ao crescimento vertiginoso de São Paulo. Essa concepção predominante ensejou a intervenção do governo estadual ao longo da primeira metade do século XX, manifestando-se ora pela estratégia de diversificação econômica focalizada na agricultura, ora pela estratégia de especialização industrial. Em termos concretos e imediatos, a iniciativa estatal de promoção da industrialização mineira na primeira metade do século XX não logrou êxito ampliar sua participação no produto industrial nacional, aproximando-a de São Paulo. Com efeito, a participação de Minas entre 1949 e 1959 caiu de 6,5% para 5,8%. Por outro lado, são constatados os avanços institucionais promovidos no período, a modernização da agricultura e a constituição de uma infraestrutura de energia e transportes básica necessária à industrialização regional. O presente trabalho se destina à compreensão dessas estratégias, realizando, para tanto, revisão bibliográfica acerca dos governos Benedito Valadares (1933-1945), Milton Campos (1947-1951) e Juscelino Kubitschek (1951-1955). Ademais, para um melhor entendimento das estratégias de desenvolvimento regional mineiro vigentes no período abordado, buscou-se compreender as causas do atraso, a partir de revisão bibliográfica da historiografia econômica acerca dos ciclos da economia mineira. Neste sentido, foram abordadas a transferência do centro dinâmico da economia mineira da extração do ouro na região central para a economia mercantil de gêneros no sul do estado, bem como o desenvolvimento da cafeicultura na Zona da Mata e o surto industrial da cidade de Juiz de Fora. São apresentadas as principais razões da constituição do atraso relativo da economia mineira a partir das deficiências produtivas identificadas nos referidos ciclos econômicos de Minas Gerais.

Abstract
At the turn of the 19th to the 20th century, permeating the debates about the transfer of the capital of Minas Gerais to Belo Horizonte, the predominance of the situation of economic backwardness in Minas Gerais became predominant among the elites, especially when compared to the dynamism and the vertiginous growth from São Paulo. This predominant conception gave rise to the intervention of the state government throughout the first half of the 20th century, manifesting itself sometimes through the strategy of economic diversification focused on agriculture, and sometimes through the strategy of industrial specialization. In concrete and immediate terms, the state initiative to promote industrialization in Minas Gerais in the first half of the 20th century was not successful in expanding its participation in the national industrial product, bringing it closer to São Paulo. Indeed, Minas' share between 1949 and 1959 fell from 6.5% to 5.8%. On the other hand, the institutional advances promoted in the period, the modernization of agriculture and the constitution of a basic energy and transport infrastructure necessary for regional industrialization are noted. The present work aims to understand these strategies, carrying out, for this purpose, a bibliographic review about the governments of Benedito Valadares (1933-1945), Milton Campos (1947-1951) and Juscelino Kubitschek (1951-1955). In addition, for a better understanding of the regional development strategies of Minas Gerais during the period covered, we aimed to comprehend the causes of the backwardness, based on a bibliographic review of economic historiography about the mining economy cycles. In this sense, the transfer of the dynamic center of the mining economy from gold extraction in the central region to the commodity market economy in the south of the state was addressed, as well as the development of coffee production in the Zona da Mata and the industrial boom in the city of Juiz de Fora. The main reasons for the constitution of the relative backwardness of the mining economy are presented from the production deficiencies identified in the aforementioned economic cycles of Minas Gerais.

Descritores

Palavras-chave

Citação

MENEZES, Elias Natal Lima de. Atraso econômico relativo de Minas Gerais e estratégias de recuperação econômica durante a primeira metade do século XX. 120 f. Monografia (Graduação em Administração Pública) – Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, Fundação João Pinheiro, Belo Horizonte, 2020

Relacionado com

Contido em

Licença